quarta-feira, 23 de março de 2011

Mentira necessária


Vivo todo dia uma realidade inventada... meticulosamente criada.

Um dia fui uma menina indefesa e carente,
outro fui guerreira e valente.

Ontem? Fui uma cantora de renome, 
até Roberto Carlos pediu meu telefone!

O que hoje sou é segredo... corro um sério risco de vida 
se te contar,
mas uma pouco posso revelar:
A C.I.A está a me espionar!!!

Sabe, tenho identidades secretas,
não sei se um dia tive um nome real.

Cresci em meio o deserto
e aprendi com o vento a arte de estar em todo lugar.

Tenho mais vidas que um gato!
Já tive de usar várias delas...

Mas sabe, te aconselho a não acreditar em tudo,
pois... bem... tenho que confessar:
Eu minto!
Imagino, construo e habito um mundo distinto.

É um vício incontrolável, mas extremamente necessário.
Faço do passado presente, e com este um mundo
- um pouco - 
diferente!


Autora: Radige Hanna.
OBS: Peço a qualquer pessoa que goste de meu poema/mensagem e que queira mostrá-lo a alguém o favor de NÃO PLAGIAR.


Quando a vida vida é plagiada


Me diz: qual seu filme, livro, comida, esporte preferido?
O que você mais gosta de fazer?
Com que idade deu seu 1º beijo, ou fez amor?
Calma... não precisa me responder!
Só quero que você pense de uma maneira diferente.
Pois uma coisa eu te garanto:
Existem muitas pessoas iguais a você.

- Bom, mais isso é só superficialmente...

Ah é? Então me responda:
Quais são suas ideologias? Em que você crê?
Quais são seus princípios? E seus vícios?
Faça estas mesmas perguntas a seus amigos e - Rá! - aí estará a prova de que somos não um em um milhão mas sim um dentro de um milhão.

É meu amigo... a sua essência foi plagiada!
Ou será que foi você que plagiou a essência alheia?!

- Mas plágio é crime...

- Quem será o primeiro (ou primeira) "filho da...#$*%@" que irei processar...

- Oh meu Deus!!! Será que serei processado?!

Você não corre esse risco...
Quero abrir seus olhos, e quem sabe assim possamos olhar juntos - mas de maneira diferente -
para um mesmo ponto e dizer:

- Não penso igual a você!



Autora: Radige Hanna.
OBS: Peço a qualquer pessoa que goste de minha mensagem e que queira mostrá-la a alguém o favor de NÃO PLAGIAR.

terça-feira, 22 de março de 2011

Poema do poeta poeticamente apaixonado.


Tu és magnanimamente magnífica em sua magnanimidade.

Não sei... talvez seja sua grandiosamente grande personalidade grandiosa que me engrandece,
ou sua sensualística sensualidade sensual que me enlouquece!

Só sei que quando te vejo visivelmente visível em minha frente perco minha notabilíssima notabilidade notável de raciocinar...

Ô! Daria-te o mundo para que sua sensualidade magnanimamente grandiosa me notasse!


Autora: Radige Hanna.
OBS: Peço a qualquer pessoa que goste de meu poema/mensagem e que queira mostrá-lo a alguém o favor de NÃO PLAGIAR.

Desejo


Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconseqüentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.
Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.
Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga “Isso é meu”,
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.
Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.
Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar “.


Autor: Victor Hugo

segunda-feira, 21 de março de 2011

Realidade inventada.


Sabe aquele mundo?
Hoje eu o vi diferente.
Não é mais sonho, ilusão... é real!
O quê? Você não vê?
É aquele em que:
- Crianças não morrem de fome;
- Adultos conscientes não contraem Aids;
- O planeta não é degradado.

Sei... você ainda não vê?!

Então esqueça... talvez seja só mais um sonho.
Ou um simples desejo de que um futuro próspero se faça e que a realidade deixe de ser uma grande desgraça!


Autora: Radige Hanna
OBS: Peço a qualquer pessoa que goste de meu poema/mensagem e que queira mostrá-lo a alguém o favor de NÃO PLAGIAR.